Acabe HOJE com os sintomas que você está sentindo

Quando Exercício Físico Parece Síndrome Do Pânico

Conheça a história da Aline e como ela superou a síndrome do pânico ao fazer exercícios físicos:

– Eu provavelmente já tive mais ataques de pânico na minha vida do que qualquer outra pessoa. E eu estou falando de síndrome do pânico mesmo: coração acelerado, palpitações, náuseas, tonturas, falta de ar, ondas de adrenalina involuntárias … e assim por diante. Tudo ao mesmo tempo.

Muitas pessoas – desde amigos até médicos – me falaram para começar a se exercitar. Meus amigos diziam que poderia reduzir o meu estresse e me ajudar a dormir melhor à noite. Estudos falavam que pode reduzir a minha ansiedade.

Meu médico me disse que ficar em forma reduz palpitações cardíacas e aumenta a minha capacidade respiratória.

Tudo verdade. Mas aqui está a grande pegadinha que me impediu de seguir os bons conselhos de todos: Exercícios físicos me faz entrar em pânico.

E por quê? Bem, um corpo que está passando por um ataque de pânico está fisiologicamente semelhante a um corpo que está alegremente movimentando-se ao longo de uma trilha no parque:

  • Batimento cardíaco: aumenta durante o pânico. Aumenta durante o exercício.
  • Respiração: aumenta durante o pânico. Aumenta durante o exercício.
  • Adrenalina: Aumenta durante o pânico. Aumenta durante o exercício.

Eu poderia descrever mais, mas já dá para ter uma ideia. Exercícios físicos podem parecer síndrome do pânico. E quem vai querer um sentimento tão terrível?

Bem, eu.

Revelado como acabar c/ seus ataques de pânico hoje mesmo com estas estratégias simples…

Eu ranjo os dentes enquanto escrevo isso. Eu não quero encarar esta realidade, mas é verdade: pela enésima vez na minha vida, eu passei a ter medo de exercícios físicos.

O aumento da frequência cardíaca me faz lembrar o meu pior tipo de ataque de pânico (“ai meu Deus certeza que esse vai ser forte”).

Eu estou sempre com medo de que a respiração rápida vá me fazer desmaiar – mesmo sabendo que o oxigênio extra que eu estou inalando é 100% necessário, normal, e natural durante a atividade física. E a adrenalina inevitável quando se corre? Ela me faz querer fugir, para escapar rapidamente da ameaça (intangível) que é o meu próprio medo.

E eu odeio essas associações. Batimentos cardíacos rápidos, do jeito que eu aprendi na 6ª série, é um efeito saudável da atividade física.

O coração é um músculo, exercício fortalece o músculo, blá blá blá, e assim por diante. Eu sei disso. Eu sei d essas coisas lá no fundo, na parte racional do meu cérebro, mas eu simplesmente não acreditar nessa noção – que o exercício é seguro e saudável e não vai me fazer mal.

Apesar de tudo, estou determinada a voltar a fazer exercícios físicos novamente.

Eu enfrentei esse problema há alguns anos, quando eu era estudante de odontologia da Universidade Estadual de São Paulo. Eu morava em um prédio perto do campus e tínhamos uma pequena academia a dois minutos a pé dali.

Um dia, ao sentir-se ansiosa com um exame para minha aula de anatomia, resolvi seguir o conselho de todo mundo e me expor a solução milagrosa que é o exercício físico. Eu amarrei os cadarços do tênis e fui para a academia.

Tive um ataque de pânico na esteira e nunca mais voltei.

Ao longo dos meses seguintes, eu fui lentamente me treinado para perder meu medo de exercício físico. Eu anotava tudo. Veja abaixo o que eu anotei, como um guia do que fazer para me livrar da síndrome do pânico ao fazer exercício físico:

  1. Comece em um ambiente confortável. Esqueça a academia, por agora, se ela aciona sua agorafobia ou qualquer sensação de desconforto. Mesmo se você não tem nenhum equipamento sofisticado, você pode começar a exercitar em sua própria casa ou apartamento. Dança e corrida pode parecer um pouco bobo, mas são boas formas de obter o seu bombeamento do coração.
  1. Comece devagar. Você não precisa ir logo fazendo uma hora de exercício físico 6 vezes dias na semana. Se um exercício específico der medo, pule para outro. Comece devagar mesmo. Veja se você consegue correr ou dançar por trinta segundos. Depois pare. Não exagere no primeiro dia.Tente um minuto no segundo dia. Se isso funcionar, tente dois minutos, no dia seguinte. Esse cronograma suave pode soar ridículo, claro, mas não deixe ninguém lhe dizer que você deveria estar fazendo com mais intensidade.O objetivo, neste momento, é o de familiarizar-se com as sensações físicas de exercício. Dois minutos de dança dentro de seu apartamento é melhor do que nada.
  1. Distraia-se a partir das sensações desconfortáveis ​​(em primeiro lugar). Claro, o objetivo de longo prazo para quem sofre de síndrome do pânico deve envolver o desenvolvimento de uma tolerância para essas sensações desconfortáveis, como tontura e fadiga muscular.Em última análise, aprenda a lidar com esses sentimentos de pânico – sentimentos que talvez nunca desaparecem 100% – isso vai permitir-lhe viver uma vida menos limitada. Tente também focar na música enquanto corre ou dança, ou tente assistir a um programa de TV em sua sala de estar ao fazer pilates.Se você prestar atenção na melodia ou na letra – em vez de focalizar essa atenção em seu corpo – sua sessão de exercícios físicos provavelmente vai perecer menos assustadora.
  1. Exponha-se às sensações dos exercícios (e pânico) de outras formas. Se sentir-se suado ou quente é um gatilho de pânico para você, tente ficar no banheiro um pouco, depois de tomar banho. Sinta o calor e soe um pouco.Observe as sensações na sua pele. Basta prestar atenção à forma como a suas mãos, pernas e corpo reagem. Quanto mais vezes você ficar ciente e aceitar essas sensações, mais você vai dessensibilizar-se do seu desconforto.

Essas são minhas dicas e espero que elas ajudem você. Compartilhe sua experiência também!

44 comentários… add one

  • Eu tinha uma vida normal como qualquer outra pessoa .. mas depois de uns acontecimentos pessoais comecei a ter muita ansiedade … antes disso tudo começar eu malhava de segunda à sexta, pelo menos 1h por dia (comecei a malhar em 2011 e o panico surgiu em meados de 2014), jogava bola umas 3 vezes por semana e ficava tudo normal … meu coração acho que chegava a uns 170 bpm quando corria na esteira ou quando jogava bola e eu nem ligava, sempre soube que aquilo era normal e que eu não tinha nenhum problema cardíaco ou respiratório que me impedisse de se exercitar …daí quando começou a ansiedade me afastei das corridinhas na esteira mas mantive a malhação .. depois quando evoluiu para sindrome do panico deixei de malhar, correr, jogar bola entre outras coisas que eu fazia … simplesmente o medo do panico não me deixava mais fazer exercicios fisicos que eu ja fazia à algum tempo … agora que já tomo o Exodus à 8 meses já estou muito melhor .. mais confiante em mim mesmo … porém ainda com medo de me exercitar (da ultima vez que tentei meu coração acelerou muito e tive o medo que o panico dá em nós) … ate engordei mais ganhei 10kg miha autoestima anda meio baixa por isso … mas agora estou querendo bater de frente com esse medo e quero voltar a me exercitar …

    Apreciei muito suas dicas e vou procurar seguí-las … desejo-ti uma ótima recuperação desse mal. 🙂

  • Nossa! Parecia até um relato meu. Não consigo nem 15 minutos de caminhada no simulador…engordei e estou com baixa auto estima. Meu sonho, hoje, é conseguir malhar, praticar qualquer tipo de atividade física, porém, minha primeira crise foi na academia em 2004. Não sei mais como fazer, mas sei que que vou fazer todos os exames e 2016 vai ser minha primeira batalha do ano.

  • Pessoal eu também estou tendo eese problema começou depois de tres assaltos, não foram seguidos e na hora não mim apavorei com o que aconteçeu, mas no ultimo assalto depois de um mês estava em casa e do nada veio uma sensação de que iria morrer, fiquei assustado mais depois ao sair de casa com o carro estava mim sentindo mal como se a pressão estava alta, a visão não estava aguentando olhar para a luz e continuei a viagem mais antes de chegar no destino começei a passar mal falta de ar, fraqueza e suar muito, aqui começou o problema dei entrada na urgencia com a pressão 17×10 o corpo estava formigando, e daquele dia 22/01/2012 não mais fui o mesmo começei a tomar varios medicamentos que na epoca lembro que cheguei a tomar 3 diazepam 10mg, 02 domperidona 10 mg, 01 omeprazol 20 mg,02 amitripitilina 25 mg e 01 clonazepam 2 mg isso que eu lembro, mais alguns desse fizeram efeito outros não, bom diagnostico encontrado depressão! mais gastriste! até ai tudo bem passado 6 meses de tratamento, só estava tomando amitripitilina, clonazepam e omeprazol, passei por uma pequena cirurgia lembro que no dia eu perguntei ao anestesista se era local ou a rack ele mentiu e começei ficar ansioso do nada e com medo da tal cirurgia, tudo bem feita a cirurgia quando estava em casa de repouso já totalmente bem, começou ter um susto do nada até do telefone vibrando no bolso ai começou a pior parte, fui diagnosticado com a tal do transtorno pos traumatico e ansiedade, dessa ansiedade gerou a bendita cuja SD , sindrome do panico, começei a tomar fluoxetina foi o pior remédio q tomei fiquei mais ansioso, depois de tanta tentativa mim receitaram a praxetina(paroxetina) no inicio tive varias crises e depois, de um tempo melhorei um pouco voltei a viajar e em uma dessas viagem aconteçeu que fui tomar banho assim q terminei veio uma falta de ar e depois sensação de desmaio ou seja outra crise que mim paralisou, ja havia mudado a medicação para o paroxetina e alprazolam, parei de tomar o paroxetina, e começei o sertralina não deu resultado, outra tentativa o velija com um mes estava com pensamento de suicidio parei de tomar conseguir quebrar o ciclo do paroxetina com o velija de 30 mg, hoje estou tomando um tal de Quetros de 25 mg e alprazolam 2 mg, confesso para vçs tem dias dificieis e estou tendo pequenas crises, já tentei caminhar, sair e destrair mais a mente fica sempre voltado como se algo vai aconteçer que ficamos tonto, ao sair no supermercado fico ansioso e não quero encarar isso como se fosse uma agorafobia, estou lutando com o restante das minhas forças.

  • Olá!
    Esse relato é-me familiar.
    Fiz despirto durante muitos anos, mas a certa altura deixei de conseguir fazer por me sentir mal. Tinha tremores, coração acelerado, tensão alta, suores, ondas de calor, medo de morrer, em momentos que não percebia porque nem o que eram. Fui parar ao hospital algumas vezes, mas estava sempre tudo bem. Até que deixei de conseguir de conduzir e foi diagnosticado crises de pânico.
    Fiz muitos exames, acho que tudo o que é possível, e nunca nada é detectado.
    Não faço exercício fisico há 10 anos porque tenho medo de me sentir mal. Mas agora decidi começar a fazer algumas coisas em casa. Vem um cansaço estranho muitas vezes.
    Mas hoje, após um exercício que faço em casa, porque achei que conseguia, senti-me cansada, o coração parecia que batia forte, e comecei a sentir o que me levou a deixar de fazer desporto: coração muito acelerado, tremores, calor, descarga intestinal, sensação que ia desmaiar, e a tensão arterial aumentou.
    Alguém tem este tipo de sensações após exercício?
    Obrigada

  • Me identifiquei 100% nossa! Pode soar estranho, mas é ótimo encontrar alguém que sinta as mesmas coisas que a gente, faz o medo ficar menor. Obrigada pelas dicas!!

  • Eu ja tive milhares de crises de panico, em todo tipo de lugar e situação! Estou limitada, preciso de ajuda, vou tentar o que vc sugeriu! Se puder me mandar um email dizendo se deu certo e se sua qualidade de vida mudou!

  • Jurava q era a única a sentir isso. Qdo meu coração acelera só consigo pensar q vou desmaiar e paro qualquer exercício… É horrível 🙁

  • Eu nem aguento fazer uma caminhada de 2 metros que o coração acelera e acho que vou morrer mais depois dessas dicas vou ter mais forças pra treinar apesar que antes de ter a síndrome do pânico eu jogava bola toda hora tinha até o sonho de ser jogador mais depois da SP fiquei sem ânimo pra nada

  • Tudo que estou passando!
    Quero muito me exercitar, mas o coração acelera, já era!
    Hoje tentei dançando um pouco, mas deu.
    Eu tenho a 16 anos, tomo remédio controlados.
    Muito triste.

  • Gente estou passando por tudo isso, em novembro tive uma crise de pânico e ansiedade fiquei um mês formigando e achando que ia morrer, tomei remédio e melhores, após o fim do tratamento resolvi retomar a vida normal e a academia, os dias foram passando e voltei a formigar, sentir falta de ar, até que peguei verdadeira fobia de voltar a academia, agora lendo os relatos de vcs estou entendendo o que estou passando, me sinto melhor, vou me esforçar para não abandonar as caminhadas.

  • Olá, pessoal. Tenho 19 anos e estou passando por exatamente a mesma coisa que vocês. Há um bom tempo eu não tinha crises de pânico, iniciei na academia essa semana e elas voltaram, mais precisamente nos momentos em que estou me exercitando. É horrível, mas estou lutando contra isso. Não é nem um pouco fácil, a vontade é de sair correndo e nunca mais voltar pra nenhuma academia, mas eu tenho fé que todos nós, um dia, iremos vencer isso. Eu estava ficando sedentária (pensem só, uma vestibulanda jovem como eu sedentária) e resolvi enfrentar e cuidar do meu corpo com a certeza de que um dia toda ansiedade irá me deixar. Deus os abençõe

  • Estou passando por isso agora. Adoro fazer minhas caminhadas e corridinha. Mas é só perceber o coração bater forte, que me dá tonturas, fraqueza, falta de ar. Isso começou umas 3 semanas pra cá. Tenho ansiedade desde 2013, vira e mexe tenho crises de pânico. Tenho que voltar com a medicação, o que eu não queria. Venlift e Apraz. Quero voltar a jogar futebol (2anos que não jogo por medo, de dar um piripaque).

  • Gente sofro desse mal a dois anos,eta uma verdadeira rata de academia hoje consigo ir mesmo assim mais pesos pesados como antes não consigo,fazer exercícios de resistência nem pensar malho parando até recuperar o folego se eu não descansar fico tonta e vem a crise…Não desisto e mesmo com o SP vou para academia essa síndrome não pode bloquear os nossos sonhos ou o que queremos…eu amo malhar e não desistirei por causa do pânico.

  • Algum de vocês tem essas crises somente durante o exercício?

  • Nossa nem acredito, eu pensei que estava louca! Sinto absolutamente tudo isso. Cansei de me matricular, pagar e ir apenas uma vez pra surtar.

  • Há 1 ano passo por tudo isso que você descreveu, porém estou batendo de frente com esse medo. Desde que descobri a SP, parei de sair e fazer as coi das que eu fazia antes. Só que em um determinado momento da minha vida, percebi que eu não podia mas deixar a SP me vencer. Larguei os remédios, voltei a sair, encontrar meus amigos, viver… E não vou dizer que estou 100%, ainda tenho crises e a única coisa que me resta é aceitar, mentalizar, respirar e inspirar, que por sinal me ajuda muito. Tenho amigos me ajudam muito, me passam segurança e isso me drixa forte.O meu único receio é malhar, pois já tentei fazer caminhadas e não houve sucesso. Amanhã vou começar a malhar e irei seguir suas dicas. Estou com medo, não vou mentir, mas tudo o que você escreveu e o depoimento de todos aqui me encorajou muito! Obrigada, isso tudo me conforta. Boa sorte a todos!

  • Tenho exatamente. A mente entende que se o coração acelerar, estamos a beira de um ataque de pânico. E eu ainda por cima passei a ter extrassístoles, que quando estou muito ansioso, não param um minuto, o que me deixa ainda mais ansioso e nervoso. Terrível.

  • A minha vida mudou depois que entreguei a vida pra Jesus.
    Comecei a busca lo e confiar no seu imenso amor . E desde então tive uma melhora de 90%.
    Em breve vou contar meu testemunho de cura. Em nome de Jesus . Amém

  • Gente eu consigo ate fazer exercicios e tb peguei fobia de academia mas o meu medo vem.depois qdo ja estou parado ,depois do exercicio,as vezes meu coraçao bate forte…dai o medo volta.
    Estou na igreja buscando a Deus e nao tomo remedio algum e nao quero tomar…mas creio q tera um fim isso tudo

  • É muito horrível ter essas sensações parei de treinar e fazer academia com medo ki a maldita síndrome do panico voltasse ? só nem sofre desse mal sabe o quanto é horrível …sofro desse mal a 9 anos cada dia é uma luta

  • Síndrome do panico acaba com a vida social de qualker um , a gente deixa de fazer muitas coisas por conta dela …mais se Deus permitir um dia vou ser curada já fiz tratamento parei depois voltou , eu não kero tomar remédios ..porke remédios vicia eu não nasci com síndrome do pânico não vou ser escrva dela ..ate pra comer eu tenho pânico de passar mal por ke comi demais …..da uns tremores ..acelera o coração tontura vontade de sair correndo sensação da.morte ….a gente tenta não pensar mais o pânico é mais forte que a gente ,9 anos sendo escrava disso tudo é muito horrível uma sensação torturadora ,não desejo nem pro meu pior inimigo !! Espero ter ajudado alguém ke tb sendo todos esses sintomas pois de panico ninguém morre mais é a sensação de como se fosse !! Qualker duvidas me chamem no face bok Fernanda almeida Itapira

  • Gente e eu pensava que só eu sentisse isso. E imaginem só, como vários relatos que li aqui, eu sou ex atleta, joguei vôlei por muitos anos ou seja sempre competi e treinei, fazia parte física com corridas e musculação pesada, fora os jogos onde já existia pressão e muita competitividade.. Meu corpo já foi acostumado com muitos exercícios e me entristece muito o fato de que hoje é como se o exercício fosse algo que me dá medo. Depois que parei de jogar comecei a ter algumas crises de pânico. Como o pânico era novo pra mim, pensei que algo estivesse errado e passei por diversas consultas e exames, inclusive consultas emergenciais nos momentos de pânico.. exames sempre ok graças a Deus e as crises desapareceram por algum tempo depois, (uns 2 anos ).
    Mas agora voltaram! 🙁 Aquela velha história, vamos nos exercitar que faz bem e diminui o stress e ansiedade!
    Das últimas vezes que me exercitei tive crises de pânico depois do exercício. Sempre tenho medo do batimento subir muito e acho que isso em si já é ruim e o pânico aumenta a qualquer sensação estranha durante o exercício. Ontem mesmo estava apenas caminhando num ritmo bom quando do nada senti aquele gelo na barriga como se tivessem injetado adrenalina em mim, já comecei a ter tonturas e fiquei sem ar, pensei que fosse que ter que pedir ajuda a alguém que caminhava no parque. Muito ruim isso tudo. Não quero parar totalmente de me exercitar porque gosto muito e sinto que meu corpo sente falta, mas minha mente estaria causando esse medo sem sentido? :/

  • Também sinto a mesma coisa… Morro de medo de treinar, e infartar no meio do exercício. É Horrível a sensação.

  • Eu também Fico sem faltar de ar em qual quê luga. Muito triste.

  • Também tive crises em muitos lugares,na balada, em casa, no ônibus inúmeras vezes, em banheiros nunca trancava as portas,etc… já melhorei mais, porém, mudei de cidade, exercícios físicos em casa ou na academia não consigo, uma vez senti o coração acelerar e cai na esteira, apavorada e igualmente nunca mais voltei. Agora estou tentando começar em casa e amei suas dicas. Vamos vencer nossas dificuldades, pois sei que não é fácil, mas tbm não é impossível.

  • Pessoal, foi bom encontrar este blog e os relatos de vcs. Acabei de me sentir exatamente durante um exercício. Segui enquanto consegui, cerca de 25min e parei. Sensações horríveis que tenho. Muito triste. Mas juntos vamos superar.

  • Comprei uma bicicleta agora e vou pedalar para espantar o pânico. Deus esta conosco.

  • Há algumas semana estou assim, não to conseguindo nem caminhar na rua, w agora qdo estou a fazer faxina em casa se o coração acelera me da síndrome do pânico na hora, vou ter q voltar a fazer meu tratamento com sertralina e clonazepam… Não to conseguindo nem limpar a casa ?????

  • Muito interessante cada história aqui,me trato a 14 anos,e parece não ter fim comecei acadêmia e estou me esforçando para continuar,estou tento crises pos treino,mas com tantos relatos me deu ânimo para seguir em frente e não desistir,essa maldita doença me fez desistir de muitas coisas,mas muitas coisas eu venci,só quem tem realmente sabe o que é,parece que vamos a guerra todos dias,mas o soldado nunca pode se render, e lutar com todas as forças para sua sobrevivência,e assim vamos seguindo esta caminhada difícil,no qual ninguém que não tenha,nunca irão saber o que é ter um crise,podemos nos considerar heróis por a cada crise,é como se enfrentassemos a morte de frente,e realmente podemos dizer que fazemos isso,por que temos todos sintomas,mas somos vencedores,Deus não da um fardo no qual não podemos aguentar,siga em frente e persista,por a cada dia é uma lição de vida.Deus abençoe a todos

  • Gente,
    Sinto as mesmas coisas… É terrível!!! Nunca vejo meus batimentos na esteira. O esforço nem precisa ser muito. De repente, meu coração dispara, parece que não consigo respiarar bem, fico tonta e começo a ter tremores interno. Dá vontade de ir embora. Gostaria muito de malhar constantemente, mas essas sensações tem me impedido. Não sei o que fazer!?!? Só Deus pra ter misericórdia!!! A cada dia na academia é como se fosse uma grande luta. Bom saber que não sou a única. Que Deus nos liberte!!! ?

  • É muito difícil conviver com pânico, já sofro desse mal há 10 anos.
    Yoga é uma ótima solução, você pode fazer aulas em casa online e como os exercícios são menos intensos, e tem relaxamento, ajuda a combater a ansiedade.
    Eu tenho essas sensações também e por isso nunca corri, tenho medo de me sentir mal. Mas yoga ou dança sempre foram boas opções para mim. Música clássica também é ótimo para combater a ansiedade na hora do exercício.

  • Ola estou com muito medo as veses sinto me fora do meu corpo tipo eu do lado de min mesmo , sempre fui uma pessoa que corre em atividades fisica hj tenho 18 anos e tenho um pouco de medo fasço academia e tals isso começou numa sexta ai noite meu coraçao acelerou muito muito eu fiquei com muito medo ate hj tenho medo daquele dia fiz varios exames e graças a deus nao tenho nada fiz. Ecodoppler colorido e nao deu nada disse q tava tudo normal mais o medico disse q eu tenho sindrome do panico tenho muito medo de desmaiar me ajudem o q eu fasço

  • Também já passei por tudo isso, larguei minha rotina de treino intensos que duraram oito anos, justamente pelo desencadear de crises de pânico durante qualquer esforço físico que eu realizasse (pasmem, ate sexo me fazia passar muito mal). Depois de 2 anos sem pisar na academia e evitar todo e qualquer esforço físico, resolvi acreditar no diagnóstico e nos remédios que me eram receitados (antidepressivos e ansiolíticos). Ja faz 2 anos que retomei minha rotina de musculação pesada e hoje posso dizer que venci a doença, que em 95% das vezes se desencadeava apenas durante a realização de esforços físicos. Tenho alguns inícios de mal-estar, que já consigo controlar, superar e prosseguir. Não desistam da batalha!! Não deixem essa doença ganhar espaço! Problemas existem para ser atacados! Boa sorte a todos e vamos à luta.

  • Isso já aconteceu cmg outros dias, e aconteceu hj novamente, a melhor forma de controlar isso é vc sendo calmo sabendo usar o controle dá sua mente… Eu comecei a fazer exercícios e corrida e há três semanas… Senti tudo isso que vcs disseram, já sofri muito com o pânico e a ansiedade. Não vou desistir. Tento sempre manter o controle, depois passa.

  • eu tenho inúmeras crises de pânico por medo de morrer ai hoje eu tava nada mais nada menos que pulando ai meu coração disparou e minha respiração ficou ofegante eu na hora já comecei a me sentir mal aperto no peito formigamento no braço tontura tremores e achei que ia ter um treco o que só piorou tudo

  • Eu ja estava ha 1 ano sem medicação.
    Ai de repente comecei a sentir tremores fortes..
    Meus membros movimentavam se involuntáriamente e tive k tomar activan.
    O médico disse para fazer exercícios fisicos..
    Comecei a andar calmamente mas ai a respiração um pouco ofegante comecei a criar um medo.
    Sera k vai ser sempre assim?

  • Sentia a mesma coisa. Nunca tomei remédios controlados, sempre busco melhorar de forma natural. Depois de muita pesquisa descobri que o cloreto de magnésio P.A e Lugol poderia melhorar o funcionamento do cérebro (pois me sentia muito desorientada, com muito esquecimento e queda de cabelo), sempre tinha crises no trabalho ou sempre que me sentia só, além do terrível medo da chuva, se visse uma nuvem escura já entrava em crise. Após uma semana tomando os dois passei a não ter mais crises, comecei a dormir a noite inteira e não me assustava durante a noite (sempre acordava no meio da noite com pânico). Pra mim foi impressionante, comecei a tomar dia 20/04 e até hj 03/05 não tive nenhuma crise. Recomendo a todos ( qualquer duvida estou a disposição para ajudar no watt (97) 98406-2091

  • Boa tarde, excelente postagem! Me sinto assim fazem quase 2 anos. E realmente é muito difícil voltar a fazer atividades. Igual ao que o David disse, me exercitava muito, hoje subo escada me da uma sensação horrível. Meu sonho é voltar a fazer atividade física! Muito difícil conviver com isso, e alem do mais as pessoas acham que é frescura rs. abraço a todos e vamos voltar a malhar, correr e ter uma vida normal. Muito boa as dicas, grande abraço

  • Sinto esse desespero em relação aos exercícios também. Ja passei mal algumas vezes após subir escada. Já fiz todos os exames e parece q não tenho nada, mas nessas horas acabo desconfiando.

  • Hey, gente, sinto tudo isso faz uns 5 anos com idas e voltas, mas nunca abandono o exercício, recentemente, junto com a atividade física(que me sinto confortável para fazer, pois assim como a autora desse texto não me sinto seguro com todos), faço acompanhamento com terapeuta, tenho feito acupuntura e estou marcando um homeopata para ver alguma medicação que me ajude a superar a ansiedade no momento do exercício e reconhecer que é apenas o meu corpo, sendo o meu corpo e não eu passando mal.

  • Olá,não consigo simplesmente ir pra academia,ou simplesmente ir em lugares com mais pessoas,bares, restaurantes,ou até mesmo em lugares públicos, queria muito voltar a malhar,fiz 6 meses de musculação,parei no meio do caminho por excesso de ansiedade,dores fortes na barriga,suor nas mãos, batimentos acelerado do coração,tremedera das mãos,medo, pensamentos negativos,timidez,o foco maior do meu Pânico começa,quando pessoas ficam me observando,quando algo está me observando ao mesmo tempo pressionando meu corpo reage imediatamente negativamente como se fosse uma defesa….queria ser normal, quero tanto voltar malhar novamente…

  • Eu ando sofrendo desse mal há um bom tempo, me sinto trêmulo a grande parte do tempo, coração acelera e vontade de correr pra casa, paro de andar em. Direção ao local onde eu preciso ir por conta do pânico, enfim uma merda total.

  • Olá,
    Gente em 02/2014 me senti mal no trabalho,uma tontura coração acelerado,uma sensação que iria desmaiar,fui socorrida pra uma emergência,lá o médico me colocou no soro e disse que eu tive uma síncope,dai em diante nunca mais fui a mesma,fico ansiosa com qualquer coisa,e aí vêm os velhos sintomas (falta de ar,coração acelerado,tonturas e suor,tremores,formigamentos ) já fiz vários exames,fui a diversos especialistas e todos os exames são normal,até que tive a crise mais grave”estava em casa com minha sobrinha brincando quando me sentir tonta,coração acelerou e o corpo todo trêmulo” eu achei que iria morrer ali,comecei a gritar,chorar,minha mãe veio me abraçou e eu não conseguia parar de chorar,fui pra emergência e o médico disse que eu tive uma crise de ansiedade. Fui para um Neurologista que passou uma ressonância do crânio para avaliar meu cérebro e graças a Deus deu tudo normal,ele passou cloridrato de paroxetina e alprazolam,tomei a medicação por seis meses mais em certos momentos tive a crise. Eu hoje 08/2017 ainda tenho os mesmos sintomas do pânico,principalmente quando estou ansiosa ou estressada. Qualquer coisa que sinto penso logo que tenho uma doença grave e que vou morrer. É terrível,hoje procuro fazer tudo que gosto “dançar,sair com meus filhos,ir a praia,faço pilates” procuro tirar o foco dos sintomas para não ter novas crises. Rezo muito pra Deus me curar,o medo continua mais procuro ser mais forte que ele,luto com isso há três anos e meu maior sonho é ter uma vida normal. Melhoras pra todos que Deus nos ajude e nos traga a cura mental. Me chamo Helena tenho 33 anos

  • Todos os relatos aqui me definem, como é difícil viver pois mtos não entendem pelo que passamos,sempre nos julgam

Leave a Comment