Acabe HOJE com os sintomas que você está sentindo

5 Histórias De Quem Sofre De Síndrome Do Pânico

sindrome d panico hstorias

Veja relatos de 5 pessoas que sofreram de síndrome do pânico, e o que fizeram para superar:


Tudo parece muito bem. Eu estou sentado conversando com uma amiga ou lendo um livro no metrô ou caminhando. De repente eu fico altamente vigilante. Eu fico instantaneamente alerta com tudo e com todos em minha volta, e tudo parece uma ameaça.

Tudo fica muito claro, como se estivesse em alta definição. Minhas pernas reagem na hora à essa nova realidade, elas ficam prontas para correr. Elas ficam incrivelmente leves. É uma sensação de estar flutuando que eu me divertiria com isso, se eu não começasse a tremer forte e apavorar.

Em raras ocasiões minha boca começa a ficar cheia de saliva, como se eu fosse vomitar.

Seja um caso de superação e livre-se hoje mesmo das crises de ansiedade e pânico com estas estratégias simples…

Às vezes, uma forma menos forte de ataque de pânico acontece, onde meu peito fica bastante apertado, mas sem nenhuma sensação de medo e incapacidade.

A maioria das vezes, no entanto, eu fico zonza, minha perna parece uma borracha, tudo isso enquanto eu estou lutando para respirar normalmente e procurando por uma saída. Geralmente meu pânico é causado por espaços confinados, mas isso pode variar… pode ser metrô, cinema ou biblioteca.

Leva cerca de 20 minutos para os sintomas físicos diminuírem e dentro de uma hora eles desaparecem completamente. Mas emocionalmente, eu fico despedaçada pelo o resto do dia. Me sinto envergonhada e triste e ainda um pouco apavorada por um tempo, mas eventualmente eu melhoro.

Anônimo


 

O pior sintoma era o que parecia um choque elétrico passando por mim dos pés à cabeça. Quando eu acordava um pouco e me lembrava de todas as coisas que eu tinha que fazer no dia, meu cérebro ativava a reação de luta ou fuga, meu coração parecia que ia explodir e meu corpo tremia como uma vara.

Somente anos depois, quando eu comecei a tomar remédio para ansiedade, eu descobri que tudo isso não deveria fazer parte do meu dia.

Onde algumas pessoas sentem um frio na barriga, eu sinto um gelado no peito. Isso fazia meu coração disparar, e tentar acalmar meu coração para poder dormir era como se eu estivesse tentando lutar contra um monstro.

Levou anos para aprender uma forma de acalmar meu coração com muitas tentativas de relaxamento muscular e técnicas de respiração.

A única forma de dobrar os sintomas em público era sempre sentar bem no canto nas poltronas do cinema ou do avião. Caso contrário eu estava perdido.

Anônimo


 

Fisicamente, tudo começa com meu coração disparando, depois eu começo a ter dificuldade para respirar, não que eu esteja sufocando, só mesmo a sensação de não estar respirando completamente.

Eu fico sensível quando relam em mim, como se meus músculos ficassem fracos, como se eu tivesse resfriado.

E a pior parte é a descarga do que eu acho ser adrenalina. É aquela sensação que dá quando você vê que seu carro vai bater. Ou quando você entra numa montanha-russa pela primeira vez.

Anônimo


 

Eu estava no trabalho, fazendo meu trabalho e não pensando em muita coisa, quando eu comecei a ter dificuldade de respirar. Quando eu tentei puxar o ar, parecia que meus pulmões já estavam cheios.

Isso já tinha acontecido antes e eu consegui me controlar, apenas me esforçando para relaxar. Só que dessa vez estava ficando pior, eu não conseguia mais puxar o ar.

Pois bem, eu fui para uma reunião. Depois de alguns minutos, eu comecei a desmaiar. Eu passei a sentir como se meu coração estivesse batendo bem diferente. Olhei para o meu chefe e pedi para ele chamar uma ambulância. Eu não tinha percebido que era um ataque de ansiedade ou de pânico.

Quando eu cheguei no hospital eu já comecei a me sentir melhor. Os médicos tiraram raio X e outros exames, e acabaram me dizendo que não tinha nada de errado comigo.

Ninguém me disse que o que eu tinha passado era ansiedade ou pânico, mas com base nas perguntas que a equipe médica me fizeram, eu sabia que eles estavam desconfiados de ser ansiedade e pânico, e eu tenho quase certeza de que foi isso que aconteceu.

O que é mais surpreendente para mim é que, enquanto eu estava passando por um momento extremamente estressante, sendo a causa do estresse extra um grande evento que eu estava ajudando a organizar, esse evento já tinha acabado dias antes do meu ataque de pânico.

Seus primeiros passos para superar a ansiedade e pânico estão aqui.

Eu aprendi que era muito comum as pessoas terem ataques de pânico dias depois de ter passado os elementos que causam o ataque, mas naquela época não fazia nenhum sentido para mim. Eu estava auto consciente da minha ansiedade, e ansioso com tudo!

Eu nem me senti particularmente ansioso durante o ataque. Foi tudo muito físico. Como se minha mente estivesse calma, mas meu coração e pulmões estivessem sendo atacados.

Cristiano


 

Geralmente eles começam na respiração. Respirar se torna uma coisa que eu tenho que controlar ativamente.

Esse é um ponto crucial. Se eu consigo controlar minha respiração e voltar ao normal, eu fico bem. Eu tento exercício de respiração, faço um chá de camomila, ou se eu tiver sorte de ter um por perto, eu tomo um antidepressivo.

É muito comum as coisas saírem do meu controle. Em seguida vem a falta de foco e cabeça vazia, onde toda a minha atenção vai para dentro de mim.

Todo o meu recurso mental se dedica para o que está acontecendo dentro da minha cabeça. Nesse ponto eu já não consigo ler, concentrar na televisão e muito menos manter uma conversa com alguém.

O pior de tudo é quando isso acontece enquanto eu estou dirigindo. Tudo que eu consigo fazer é tentar manter distância do carro da frente e parar no acostamento o mais rápido possível se os sintomas piorarem.

Depois disso chega um momento que eu começo a pensar “ai meu Deus, chegou a hora, todas as outras vezes foram ataques de pânico, mas dessa vez é diferente, dessa vez eu vou morrer”, e esse pensamento toma conta da minha mente.

No meio de tudo isso, meu coração bate tão forte no meu peito que dá pra ver ele batendo do lado de fora. Eu nunca desmaiei, mas já cheguei a passar seis ou sete horas de medo absoluto, e muita insônia.

Já fui para o hospital sozinho mais de uma vez, voltando de lá só com um papel dizendo que eu não tinha nada.

Aqui vai uma coisa que tem me ajudado. Quando tudo isso começou, eu procurava meus sintomas na internet, que me levava a resultados assustadores tipo “enfisema”, “derrame” ou “tumor cerebral”.

Agora eu adiciono a palavra “ansiedade” em tudo que eu estou passando.

Por exemplo, eu vou procurar “dificuldade de respirar ansiedade”, “aperto no peito ansiedade”, “Coração acelerado ansiedade”, “falta de ar ansiedade” ou alguma coisa esquisita tipo “sensação de querer arrotar o tempo todo ansiedade”.

Na grande maioria das vezes eu acabo lendo sobre um monte de gente que já passou pelos mesmos sintomas e receberam o mesmo diagnóstico.

Um ataque de pânico deixa você sentindo como se fosse morrer, e saber que outras pessoas já passaram pela mesma coisa e sobreviveram ajuda bastante.

Bruno.


 

Veja mais relatos aqui.

Qual é a sua história? Compartilhe! Outros visitantes podem ajudar.

6 comentários… add one

  • Tudo começou quando vivia em um estresse danado, e de um dia para o outro comecei a passar mal, o coraçao começou a acelerar, falta de ar a sensaçao é como se estivesse morrendo , chamei a minha mãe desesperada ai falei o que tava acontecendo e ela me disse que ja passou por isso que talvez seria a sindrome do Panico , e ja faz um dois meses que estou com essa sindrome , e nas primeiras vezes que me atacava que eu nao conseguia me controlar tinha que ir para o pronto socorro e os medicos falavam que nao era nada que só era crise de ansiedade e disse para eu mudar meu estilo de vida, ai ele me receitou um calmante porque falei que acontecia toda noite na hora de dormir , entao ele receitou para controlar a ansiedade e desturbio de sono , só que eu evito o maximo para nao tomar calmante porque os medicos falavam que sou nova pra ficar dependente de remedio , tenho 24 anos e um filho de 1 ano e 9 meses , só que quando ataca nao consigo me controlar ai preciso tomar calmante. Ja fiz eletrocardiograma porque tinha medo que estivesse alguma coisa no coraçao porque quando acelerava eu entrava em despero , eu eu fiz e deu TAQUICARDIA SINUSAL que eh uma arritmia (Nada grave) quando soube que nao era nada grave a chegar ao ponto de morrer ja fiquei mais tranquila porque quem tem sindrome do panico a sensaçao é de morte …

    Só que sou muito dificil de controlar as crises , a minha psicóloga disse que tenho pensamentos automaticos, que mesmo eu estando bem, dando risada o pensamentos automaticos tomam conta de mim e quando penso em algo ruim meu corpo ja começa a dar sintomas de panico …

    Nao é facil quem sofre com ansidade e sindrome do Panico , tem que procujar ajuda , destrair a cabeça , fazer algo que goste quando perceber que vai atacar , e as vezes precisa se tratar com psicologo … E mesmo sabendo o que tenho e que nao vou morrer as vezes é dificil de se controlar …

    Mais acredito em Deus que nós que sofremos com isso ele vai nos curar , Deus é fiel …

  • Luana passei por isso tudo e horrível e ainda passo fiz eletrocardiograma muitas vezes tbm. Mais sempre o medo toma conta.

  • Vendo essas postagens, meu coração aperta, pois sei bem como é isso, já passei por isso. E hoje, para Glória e honra do Senhor, não tenho mais nada,
    Coloquei toda minha fé, todas as minhas forças que restaram, coloquei em Deus. No começo não foi fácil, mas consegui e hoje posso dizer que estou curada.
    Ainda preciso de muito tratamento de Deus, pq ainda sou ansiosa, mas não tenho mais essas crises de pânico que tira a gente de nós mesmos. É como nós não tivéssemos controle da gente, por uns minutos ficamos preso dentro de nós, sem saber de nada. É horrível.
    Quem me curou foi o médico dos médicos . O remédio se chama Jesus….

  • Eu estou passando por isso sinto falta de ar dor de cabeça tontura nao consigo comer nao sinto vontade de sair de casa ate um aperto no peito ja senti mais fui num medico e comecei tomar remedios fazer um tratamento e tudo esta melhorando é so ter fé em deus que da tudo certo.

  • Eu estou passando por isso sinto falta de ar, dor de cabeça, tontura, nao consigo comer, já perdi 15 kilos, nao sinto vontade de sair de casa estou a 3 anos trancada, larguei emprego, faculdade, durmo e acordo com pensamento ruim, acho que meu pânico está se tornando uma fobia social. Eu não saiu pq não quero que as pessoas me vejam ao pensar nisso eu começo a ter as crises. Não aguento mais.

  • Sofro de Síndrome do Pânico, há 12 anos, quando descobri foi horrível, fiquei muito doente, tomava 6 remédios por dia, enfim uma coisa q só quem tem, sabe o quanto é sofredor…,
    Hoje tomo Citalopram, pois sinto que sem ele fico angustiada e tenho menos controle da situação, pois já fiz psicóloga…, ajuda em algumas coisas, mas p/ falar a verdade, não faz milagre.
    No meu caso, eu fiquei hipocondríaca, qualquer coisa que eu tenho no meu corpo, acho q é a doença mais ruim, principalmente no coração, vc se sente uma louca, p/ quem está assistindo, o seu sofrimento…
    Perdi minha mãe, há 2 anos, e claro que isso, faz com que fico mais vulnerável….
    Só sei que cada dia, hora, minuto, segundo, eu mato 100 leões, dentro da minha cabeça…

Leave a Comment