Acabe HOJE com os sintomas que você está sentindo

O Que É Transtorno Da Ansiedade Social? O Que Causa Ansiedade Social?

Transtorno Da Ansiedade Social

O transtorno da ansiedade social ou ansiedade social é um desconforto emocional excessivo, uma ansiedade, um medo ou preocupação em relação a situações sociais.

Você fica excepcionalmente preocupado com a interação social, avaliação de si mesmo por outras pessoas e consequentemente você acaba contraindo um medo elevado de interagir com outras pessoas.

O transtorno da ansiedade social às vezes é chamado de fobia social. A fobia é um medo irracional de certas situações, objetos ou ambientes.

A pessoa com transtorno da ansiedade social tem um medo excessivo de passar vergonha nas situações sociais, esse medo pode às vezes ter um efeito debilitante negativo nos relacionamentos pessoais e profissionais.

Um indivíduo com transtorno da ansiedade social pode ter sinais e sintomas como tremedeira, rosto vermelho, batimentos cardíacos acelerados, tensão muscular, náusea, suor, desconforto abdominal e tontura.

Seus primeiros passos para acabar com a ansiedade social estão aqui.

A ansiedade social ocorre frequentemente lá atrás na infância como uma parte normal do desenvolvimento social e passa despercebida até a idade adulta. As causas e frequência da ansiedade social variam consideravelmente, dependendo de cada pessoa.

A maioria de nós pode sentir um certo nervosismo em determinadas situações sociais, como fazer uma apresentação, sair para um encontro, ou participar de uma competição. Isso é normal e na maioria dos casos não é transtorno da ansiedade social.

O transtorno da ansiedade social é quando as interações sociais do dia a dia causam medo excessivo, autoconsciência e vergonha. Coisas simples como comer em lugares públicos ou interagir com estranhos podem se tornar desafios consideráveis para uma pessoa que sofre de transtorno da ansiedade social.

A Ansiedade Social é Um Círculo Vicioso, Conforme Mostra Esse Infográfico:

Ansiedade social: um círculo vicioso - Infográfico.

Ansiedade social: um círculo vicioso – Infográfico.

Quer mostrar este infográfico no seu site?

Quais São Os Sinais E Sintomas Do Transtorno Da Ansiedade Social?

Um sintoma é algo que o paciente sente e relata, enquanto um sinal é algo que outra pessoa, como o médico, detecta.

O transtorno da ansiedade social é uma condição de saúde mental crônica na qual a pessoa que sofre tem um medo irracional ou ansiedade excessiva em situações ou atividades, acreditando que ele ou ela estará sendo observada e julgada por outras pessoas.

Existe um medo considerável de passar por humilhação ou vergonha. Pode haver sinais e sintomas físicos, emocionais e comportamentais.

Sinais e sintomas emocionais e comportamentais:

  • A ansiedade atinge um ponto em que tarefas diárias, incluindo a vida social na escola, no trabalho e outras atividades são afetadas
  • Evitar situações onde a pessoa sente que ele ou ela pode ser o centro das atenções
  • Crianças com um possível transtorno da ansiedade social tendem a ter medo exagerado de passar vergonha em frente aos colegas, mas não em frente dos adultos
  • Medo considerável de estar em situações com estranhos
  • Ficar apavorado ao pensar em como se apresentar para outras pessoas
  • Medo excessivo de ser criticado
  • Medo excessivo de que outras pessoas possam reparar que você está ansioso
  • Preocupação com o fato de estar ansioso, o que faz a ansiedade piorar
  • Preocupação excessiva de ser humilhado ou passar vergonha
  • Medo de conhecer pessoas com certo nível de autoridade
  • Ter ataques de ansiedade ou ataques de pânico intensos no meio de uma situação temida
  • Evitar fazer certas coisas ou falar com certas pessoas por causa do medo de passar vergonha ou humilhação
  • Preocupação excessiva de entrar em situações em que ele ou ela pode ser julgados
  • Branco na mente em situações que causam ansiedade

Sinais e sintomas físicos:

  • Uma sensação de palpitação no coração ou batimentos cardíacos acelerados
  • Dor abdominal
  • Evitar contato visual,
  • Rosto vermelho
  • Crianças com fobia social podem chorar, ficar emburradas ou ficarem caladas o tempo todo
  • Suor nas mãos
  • Mãos frias
  • Confusão
  • Diarreia
  • Chorar
  • Dificuldade de falar, isso inclui uma voz trêmula
  • Boca seca
  • Garganta seca
  • Suor excessivo
  • Tensão muscular
  • Náusea
  • Tremedeira
  • Andar esquisito – o indivíduo fica tão preocupado com o jeito de andar que acaba perdendo equilíbrio ao passar por um grupo de pessoas.

O indivíduo com transtorno da ansiedade social também pode:

críticas

  • Ficar sensível demais com as críticas
  • Ter baixa autoestima
  • Ter habilidades sociais fracas
  • Não ser assertivo
  • Falar consigo mesmo de maneira negativa – pensamentos que são frequentemente auto destruidores e imprecisos.

Indivíduos com transtorno da ansiedade social às vezes não tem um bom desempenho na escola ou no trabalho para evitar a atenção de ser promovido ou ter que participar em tarefas em grupo.

Revelado como dissolver os sintomas da ansiedade social hoje mesmo com estas estratégias simples…

Em casos graves ou crônicos (longo prazo) de ansiedade social, a pessoa pode desenvolver outras doenças psicológicas, como a depressão.

Uma pessoa com transtorno da ansiedade social pode achar as seguintes situações extremamente difíceis de encarar:

  • Se apresentar ou ser apresentado para pessoas que elas não conhecem
  • Conversar com pessoas que elas não conhecem
  • Entrar numa sala onde as pessoas já estão sentadas
  • Olhar direto nos olhos da outra pessoa (contato visual)
  • Pedir comida no restaurante
  • Iniciar uma conversa
  • Usar banheiro público
  • Escrever na frente de outras pessoas
  • Fazer qualquer coisa onde outras pessoas podem estar olhando.

Pessoas com transtorno da ansiedade social geralmente sabem que a ansiedade delas é irracional. Porém, em muitos casos ansiedade persiste e não melhora sem um tratamento apropriado.

Quais São Os Fatores De Risco Para O Transtorno Da Ansiedade Social?

Um fator de risco é algo que aumenta a probabilidade de desenvolver um transtorno ou doença. Por exemplo, a obesidade aumenta significativamente o risco de desenvolver o diabetes tipo 2. Portanto, a obesidade é um fator de risco para o diabetes tipo 2.

De acordo com a Mayo Clinic, EUA, aproximadamente de 3% a 13% das pessoas nos países ocidentais passam pelo transtorno da ansiedade social em algum momento de suas vidas. O transtorno começa tipicamente no meio da adolescência, mas pode às vezes começar bem antes ou bem depois.

Os seguintes fatores podem aumentar o risco de desenvolver o transtorno da ansiedade social:

  • Gênero. O transtorno da ansiedade social é significativamente mais comum n o sexo feminino do que no sexo masculino.
  • Genética. Se os pais da pessoa tem o transtorno, o risco de desenvolver ansiedade social é maior, em comparação com outras pessoas.
  • Criação. O transtorno da ansiedade social pode ser desenvolvido em pessoas que enxergam comportamentos ansiosos em outras pessoas. Alguns especialistas acreditam que pode haver uma ligação entre o transtorno e a criação super protetora dos pais.
  • Algumas experiências de vida. Crianças que passaram por bullying, ridicularização, humilhação ou rejeição são mais propensas a terem ansiedade social, em comparação com outras pessoas. Abuso sexual, conflitos familiares ou outras experiências negativas também podem contribuir.
  • A personalidade da pessoa. Crianças que se isolam, tímidas ou que ficam tímidas quando confrontadas com situações novas têm maior probabilidade de desenvolver transtorno da ansiedade social.
  • Provação. Algumas pessoas podem experimentar ansiedade social pela primeira vez quando tem que fazer uma apresentação importante. Atores podem passar por algum tipo de fobia social quando sobem no palco.

Quais São As Causas Do Transtorno Da Ansiedade Social?

Os especialistas dizem que o transtorno da ansiedade social tem causas genéticas e ambientais.

  • Causas genéticas. O transtorno é mais comum em famílias. Existem pesquisas contínuas que tentam descobrir o quanto o transtorno é genético e o quanto o transtorno é aprendido.
  • Químicas corporais. Cientistas estudam atualmente quais químicas corporais naturais podem ter um papel no desenvolvimento do transtorno da ansiedade social. A serotonina, uma química cerebral, pode ter um papel importante quando seus níveis estão desequilibrados ou se o paciente é extremamente sensível à serotonina.
  • Estrutura cerebral. Alguns especialistas acreditam que a amígdala (uma parte do cérebro) pode ter uma influência na reação ao medo, resultando em uma reação excessiva dos pacientes que têm alta atividade na amígdala.
  • Clima e /ou demografia. Os países do Mediterrâneo têm taxas mais baixas de pessoas com transtorno da ansiedade social em comparação com países escandinavos. Isso pode ser devido ao clima mais quente bem como maior densidade demográfica nos países do Mediterrâneo. Climas mais quentes podem reduzir o isolamento e aumentar os contatos interpessoais. Alguns especialistas sugerem que os fatores podem ser culturais.

Diagnosticando O Transtorno Da Ansiedade Social

Um terapeuta ou médico especialista pode fazer uma avaliação psicológica e física. O exame físico ajuda o médico a eliminar causas físicas para os sintomas do paciente. Não existe exames de laboratório que podem diagnosticar o transtorno da ansiedade social.

Um médico ou terapeuta provavelmente indicará um psiquiatra ou psicólogo para o tratamento. Estes poderão pedir para o paciente descrever seus sintomas, quando eles ocorrem, com que frequência, e por quanto tempo. Geralmente o paciente recebe um questionário.

Este questionário avalia os seguintes critérios:

  • Se o paciente evita situações que podem produzir ansiedade
  • Se o paciente tem um medo persistente de situações sociais que eles acreditam que serão julgados, ou que vai agir de maneira embaraçosa ou humilhante
  • Se o paciente reconhece que sua ansiedade é excessiva ou está fora de proporção para a situação
  • Se o estilo de vida do paciente é afetado pela sua ansiedade
  • Se situações sociais causam ansiedade exagerada.

Quais São As Opções De Tratamento Para O Transtorno Da Ansiedade Social?

Opções De Tratamento Para O Transtorno Da Ansiedade Social

Em um grande número de pacientes, o transtorno da ansiedade social continua pela vida inteira, variando a intensidade de acordo com a situação. Os tratamentos disponíveis podem ajudar as pessoas a controlar os sintomas consideravelmente, bem como ganhar mais autoconfiança.

A psicoterapia em junto com medicamentos são considerados pela maioria dos especialistas a forma de tratamento mais eficaz.

Psicoterapia

A psicoterapia é o tratamento de maneira psicológica. A psicoterapia pode utilizar a persuasão, sugestão, reafirmação, introspecção (perceptividade e autoconsciência), e instruções para que a pessoa possa ver ele mesmo ou ela mesma e seus problemas de maneira mais realista para superar ou lidar com o transtorno de maneira mais eficiente.

Seja um exemplo de superação e livre-se hoje mesmo das crises de ansiedade, ansiedade social e pânico com estas estratégias simples…

Existem vários tipos de psicoterapia, incluindo terapia cognitiva, terapia interpessoal, terapia psicodinâmica e terapia familiar.

A terapia cognitiva comportamental melhora os sintomas imensamente. Ela ajuda o paciente a se dar conta de que são os seus pensamentos, e não as situações ou as pessoas, que determinam como elas reagem se comportam.

A forma como uma pessoa pensa pode afetar positivamente seu comportamento, até mesmo se a situação não ajudar. Nesse tipo de psicoterapia o paciente aprende a reconhecer e mudar pensamentos negativos sobre ele mesmo.

Esse tipo de terapia tem duas partes principais:

  • A parte coletiva, desenhada para limitar pensamentos distorcidos.
  • A parte comportamental, desenhada para mudar a forma como as pessoas reagem à situações e objetos que causam ansiedade.

O paciente também pode receber a terapia de exposição, onde ele trabalhará o enfrentamento de situações temidas gradualmente – o objetivo é melhorar a habilidade do paciente de lidar com as situações causadoras de ansiedade e desenvolver autoconfiança para encarar estas situações.

Com a exposição cognitiva, o paciente confronta com segurança as situações ou lugares que causam ansiedade, geralmente na companhia do terapeuta.

Medicamentos

Inibidores seletivos de serotonina são os medicamentos mais comuns prescritos para os pacientes com transtorno da ansiedade social – estes são considerados os mais seguros, bem como o tratamento mais eficiente para os sintomas persistentes. Efeitos colaterais podem incluir:

  • Dores de cabeça
  • Insônia
  • Náusea
  • Disfunção sexual.

Os pacientes geralmente começam com uma dose pequena, que aumenta gradativamente. Pode levar até três meses para o paciente notar mudanças consideráveis no sintomas.

Benzodiazepinas. Estes medicamentos anti ansiedade ajudam a reduzir os níveis de ansiedade. Como eles podem causar dependência, o curso do tratamento geralmente é curto.

Efeitos colaterais podem incluir:

  • Confusão
  • Sonolência
  • Tontura
  • Desequilíbrio
  • Perda de memória.

Betabloqueadores. Esse tipo de medicamento ajuda a bloquear os efeitos estimulantes da adrenalina. Geralmente são prescritos para situações específicas, como ter que fazer uma apresentação. Não são usados para o tratamento completo.

Quais São As Possíveis Complicações Do Transtorno Da Ansiedade Social?

Em muitos casos, um transtorno da ansiedade social não tratado pode persistir no decorrer da vida do paciente. A vida da pessoa pode ser dominada pelas suas ansiedades, o que interfere na vida diária, na vida escolar ou profissional, nos relacionamentos e na felicidade em geral.

Em casos graves o indivíduo pode parar de trabalhar, desistir da escola e se isolar.

Também existe o risco de abuso de álcool e drogas, depressão e até suicídio.

Muitas pessoas, incluindo especialistas, argumentam que a ansiedade social é causada por problemas inerentes com a sociedade, incluindo uma cultura competitiva, desequilíbrio de poder, falta de cuidados e pouca educação social familiar.

Como sua ansiedade social tem afetado sua vida? Conte-nos sua história e o que tem feito para melhorar.

10 comentários… add one

  • Olá, boa tarde! Sou César, tenho 19 anos e desde pequeno tenho fobia social, só que não sabia, nem mesmo meus pais, eu era (e sou) muito tímido e achava que era o meu único problema, tinha bastante dificuldade de interagir na escola e nem mesmo tinha amigos e tinha muito medo de ser mal julgado.

  • Cresci desta forma. Aos 13/14 anos meus pais me levaram ao psicólogo porém eu achava que era coisa pra louco, como era leigo, e não queria aceitar meus problemas, eu não falava nada pra psicóloga, e ela acabou desistindo. Os meus sintomas só foram piorando.

  • Estou passando por isso, atualmente. Sempre tive dificuldade em me relacionar com as pessoas e muito medo de ser criticada. não confio nas pessoas, acredito que elas vão me fazer mal.. sofro muito com isso. preciso de ajuda!!!

  • Olá , tenho todos esses sintomas q li , mais tive uma adolencia muito tensa tive depressão com 15 anos mais nunca mais fui a mesma , hj eu tenho 25 mais nunca mais tive paz sempre fica uma sequela principalmente a ansiedade. Mas acho q a principal causa dá fobia social é a super proteção dos meus pais acho q é por eu passar por tudo q passei ou pq sou filha única , mais tenho um grande conflito com a minha mãe , pq ela n me vê com uma mulher de 25 ela quer fazer tudo por mim, ela se entromete muito na minha há vida , praticamente quer vivera minha vida por mim ela por mim. Mas tmb vejo q ela me parece q ela n tem consciência como ela me trata sabe , pra ela tá bom ela acha q é jeito certo assim se trata um filho, isso me faz muito mal pq tenho emprecao q s ela mudasse eu ia melhorar , as coisas começam dentro de csa, e como se n aceitasse essa proteção n tenho liberdade em minha vida, é eu pergunto pq eu??? Pq essa proteção me faz mal , mais eles n entendem.

  • Eu me lembro que começou a desencadear esse transtorno no começo da minha adolescência, hoje estou com 30 anos e ontem que resolvi procurar algo p eu me curar. Comecei com a leitura sobre isso é todos os tópicos eu me encaixei, realmente estou em um nível bem avançado. Tenho pavor em pensar na possibilidade de falar com outras pessoas, olhar nos olhos, acho que todo mundo está me avaliando e de forma negativa. Quando alguém se aproxima p falar comigo fico corada, coração acelerado começo a suar muito e a conversa logo se para pq não consigo raciocinar eu fico focada no meu nervosismo é quando vou falar algo não consigo interagir. Me sinto muito mal com essa situação, muito triste pq sei que minha vida poderia ser totalmente diferente.

  • acredito que sou assim geneticamente ,meu pai é assim não gosta de pessoas não tem amigos e sei que ele sofre com isso,só consegui me formar pq ia bem nas provas,nas apresentações tinha crises e a unica coisa que eu pensava era sair logo dali,então eu apenas lia correndo as coisas e quando me perguntavam alguma coisa sobre a apresentação só conseguia responder não sei ,sem ao menos meu cérebro me permitir entender o que estavam me perguntando.

  • me sinto muito triste pela falta dos professores em entender isto e ajudar,coisas que eles acabam ainda piorando a situação

  • Me treme a vós o coração bate rápido eu só tenho 13 anos semana passada me deu vontade de chorar e sair correndo eu nunca olho para as pessoas sofro muito na escola

  • a garota que eu gosto tem isso e cada dia que passa so piora ela se isola e nao quer papo faço tudo por ela mais nao esta dando certo o que fazer ?

  • eu tenho esse problema, sofria bulling na escola na infância, chorava, me importava muito com oq as pessoas pensavam de mim, dificuldade de falar em público, na adolescência minimizou, minha aparência física ajudou, eu era mais aceita, até que eu tive o meu primeiro filho, então voltou com tudo, tinha medo de ir na padaria e as pessoas me avaliarem, n fazia nada sem meu marido, eu comecei a seguir uma religião as coisas amenizaram, mas hoje n consigo exercer a profissão, vejo mulheres lindas no fórum, tenho vergonha de ir lá, pois n sou como elas, tenho vergonha de fazer audiências, me sinto inferior aos colegas, então n consigo raciocinar… parei de trabalhar por isso, essa semana vou ao psiquiatra pra ver se tenho cura (sou advogada)

Leave a Comment