Acabe HOJE com os sintomas que você está sentindo

Transtornos Da Ansiedade Em Idosos

sindrome-do-panico-idosos-1

Todos nós temos ansiedade. Afinal, preocupar com o futuro faz parte do ser humano e nos ajuda a planejar e tomar melhores decisões. Alguma ansiedade é normal e até produtiva.

Porém, quando a ansiedade se torna incontrolável e começa a ter impacto negativo na vida de uma pessoa, ela então é considerada um transtorno psiquiátrico prejudicial à saúde.

Quase 25% das pessoas tem ansiedade em níveis não saudáveis, e idosos têm um risco especial.

Idosos podem experimentar mais ansiedade do que outros grupos de idade por várias razões: eles já sofreram mais perdas de entes queridos, sofrem mais de dores e condições crônicas, frequentemente estão tomando múltiplos medicamentos que podem exacerbar a ansiedade e ainda sofrem de doenças delicadas como Alzheimer ou depressão.

Idade não deve ser a culpada pelos ataques de ansiedade e pânico. Veja como acabar c/ seus ataques de ansiedade e pânico hoje mesmo com estas estratégias simples…

Alguns especialistas sugerem que a ansiedade generalizada está igualmente prevalente em todas as faixas etárias adultas, mas talvez seja menos frequentemente relatadas pelos idosos, e não tão precisamente diagnosticada e tratada quanto em pessoas mais jovens.

Um grande estudo publicado no American Journal of Psychiatry (1998, A. Beekman) constatou que 10 por cento dos adultos entre 55 e 85 anos de idade teve distúrbios da ansiedade, mesma prevalência que outros grupos etários.

Não Descarte A Preocupação Excessiva

Orlinda tinha o mal de Alzheimer em fase intermédia e estava morando sozinha em sua própria casa, perto de sua filha Irene, que cuidava dela constantemente e ajudava a administrar o mercado, cozinhar, transporte, etc.

Nenhuma queria viver com a outra, e como a Orlinda ainda tinha muita memória de longo prazo intacta, ela conseguia se virar muito bem sua casa, que ela ainda conhecia muito bem.

A mãe começou a queixar-se que a casa ao lado havia sido invadida por alienígenas. Luzes estranhas e ruídos perturbavam seu sono a enchia de um sentimento de pavor.

A filha, que conhecia bem o bairro, perguntou aos vizinhos, e a família do outro lado da rua achava que havia algo estranho acontecendo.

Irene chamou a polícia, que também tinha denúncias sobre a casa. A polícia eventualmente invadiu a casa e descobriu que era um laboratório de drogas.

Orlinda tinha razão! De fato coisas estranhas estavam acontecendo e quando a casa foi fechada, sua ansiedade diminuiu.

Portanto, se um ente querido seu parece estar excessivamente ansioso, não vá log botando a culpa de seus medos no “é coisa da sua cabeça”. Talvez haja uma verdadeira razão por trás de sua ansiedade.

Principais Tipos De Transtornos De Ansiedade Em Idosos

  • Transtorno de estresse agudo: Ansiedade e distúrbios comportamentais que se desenvolvem dentro do primeiro mês após a exposição a um trauma extremo.
  • Transtorno de estresse pós-traumático (TEPT): Os sintomas do transtorno de estresse agudo que persistem por mais de um mês.
  • Ataques de pânico: Um imprevisível, intenso pavor repentino, ilógico e assustador.
  • Ansiedade social: A preocupação com a forma como uma pessoa é vista pelos outros.
  • Transtorno de ansiedade generalizada (TAG): Um padrão de excesso em se preocupar com as ocorrências e eventos simples do cotidiano.
  • Fobias: medo irracional de situações como alturas, ou medo de objetos, tais como cobras.
  • Transtorno obsessivo-compulsivo (TOC): Um padrão de pensamentos intrusivos que assaltam a mente e produz ansiedade extrema, que só pode ser atenuado por uma ação, como lavar as mãos de forma ritualística.

Os dois últimos são, talvez, menos comum em pessoas mais velhas, porque eles podem e muitas vezes são tratados com sucesso na juventude ou a idade adulta.

Poucos estudos de longo prazo monitoram distúrbios de ansiedade em idosos, portanto há pouca informação sobre a forma como esses problemas variam com a idade.

É importante reconhecer que os transtornos de ansiedade não são por causa de alguma fraqueza moral ou falta de caráter, mas um verdadeiro distúrbio bioquímico.

Parece também haver uma predisposição genética. Um estudo recente de gêmeos idênticos descobriu que se um gêmeo tinha um transtorno de ansiedade generalizada, havia uma chance de 50 por cento que o outro gêmeo teria também.

Transtorno de Estresse Agudo e Pós-Traumático (TEPT)

A mãe da Rita gritou freneticamente quando os ajudantes do lar dos idosos tentou dar-lhe um banho. Independentemente de quão amável, gentil ou persuasivo o assistente social fosse, ela começou a gritar e chorar histericamente quando foi levada para o banheiro, onde o ajudante tentou tirar suas roupas.

O assistente social passou uma hora conversando com a mulher e descobriu que ela havia sido estuprada no ginásio no banheiro quando era um adolescente.

A equipe mudou a rotina de banho para uma sala tranquila, acolhedora com uma banheira e luzes suaves, e música. Tomar banho não era mais uma batalha.

O transtorno de estresse agudo se desenvolve dentro do primeiro mês após a exposição a um trauma extremo.

Os sintomas incluem:

  • Passar pelo trauma várias vezes em imagens, pensamentos, sonhos, ou flashbacks;
  • Aflição extrema quando expostos a estímulos que lembram a pessoa do trauma;
  • Evitar lembrar do trauma;
  • Uma avalanche de emoções;
  • Sintomas de agitação, excitação, insônia, raiva, irritabilidade e dificuldade de concentração.

Quando estes sintomas persistem por mais de um mês, a ansiedade é diagnosticada como Transtorno de estresse pós-traumático TEPT.

Muitas vezes, os idosos não receberam terapia para eventos traumáticos, tais como estupro, abuso, tortura ou guerra. Até que um gatilho disparar, como a situação chuveiro ou demência – que pode desinibir comportamentos protetores – essas pessoas mais velhas nunca manifestam sua dor emocional.

A mulher do lar dos idosos gritando pode ser uma sobrevivente do Holocausto. O homem que entra em pânico ao ver o rosto asiático de seu assistente bem-intencionado pode ter sido um prisioneiro de guerra.

Eles podem estar revendo eventos terríveis em suas mentes. Usar a razão com pessoas que têm esses problemas não funciona. Muito menos ordenar que alguém “supere isso”.

Seja um caso de superação e livre-se hoje mesmo das crises de ansiedade e pânico com estas estratégias simples…

Ataques de Pânico

Maria, 74 anos de idade, viúva, se oferecia duas vezes por semana para ajudar um centro de idosos a meia hora de carro de sua casa, e ela achava muito gratificante.

Ele mantinha contato com os amigos, se dava a oportunidade de contribuir e se sentir produtiva, e ela adorava o ótimo almoço em um ambiente social.

Um dia, ao atravessar a ponte sobre um rio grande entre sua casa e o lar dos idosos, ela experimentou uma sensação horrível de terror. Seu coração batia e suas mãos começaram a tremer. Ela pensou que talvez estivesse tendo um ataque cardíaco.

Assim que ela chegou em cima da ponte, ela parou, suando e fraca. Depois de alguns momentos, o sentimento passou.

Ela dirigiu-se a um pronto-socorro e o médico não conseguiu encontrar nada de errado. Ela se encontrou com seu médico alguns dias depois, e ele confirmou que ela estava bem.

Na semana seguinte, dirigindo sobre a ponte, ela não teve outro ataque, mas sentiu nervoso e com medo de que isso iria acontecer novamente.

Ela procurou o assistente social do lar dos idosos e descreveu a experiência. O assistente social perguntou: “Você acha que isso pode ter sido um ataque de pânico?” Depois de discutir o que compreendia por ataque de pânico, eles concordaram que foi de fato um ataque de pânico.

Maria dirigia para casa, confortada pelo diagnóstico e o conhecimento de que não vai ocorrer novamente, e mesmo se acontecer, vai passar rapidamente. Ela nunca teve outro ataque de pânico.

É normal sentir pânico em um evento terrível, como um terremoto ou acidente de carro. Mas as pessoas com um transtorno de pânico podem experimentar terror horrível sem gatilho aparente ou causa.

Por alguns minutos elas experimentam sentimentos intensos e avassaladores de medo que os deixam desamparados. Os sintomas físicos podem incluir desmaios, tonturas, palpitações cardíacas, sudorese e ou dificuldade para respirar.

Um ataque de pânico pode vir uma vez na vida de uma pessoa ou com frequência. Os ataques podem começar em qualquer idade e são duas vezes mais comuns em mulheres.

Há uma pré-disposição genética. Se um gêmeo idêntico tem esse transtorno, há uma chance de mais de 80 por cento que o outro gêmeo terá também.

Como Ajudar Alguém Que Está Tendo Um Ataque De Pânico

  • Se você conhece métodos de relaxamento, pode fazer na pessoa
  • Tenha calma e seja gentil
  • Vá com a pessoa para um lugar seguro e tranquilo, onde ele ou ela pode sentar-se ou deitar-se
  • Ajude a pessoa a desacelerar a respiração lentamente, inalando e exalando juntos
  • Use imagens, tais como, “Nós estamos deitado à sombra acolhedora de uma bela praia, ouvindo o murmúrio das ondas”
  • Para algumas pessoas o contato suave nas mãos ou um abraço pode ser tranquilizador

Aprender técnicas de relaxamento através de yoga, meditação, oração, ou bio-feedback pode ser muito útil na prevenção de ataques de pânico futuros.

Transtorno De Ansiedade Generalizada (TAG)

Transtorno De Ansiedade Generalizada é comum, e 5 por cento da população sofre deste distúrbio durante a vida. Parece haver um componente genético.

Se um gêmeo idêntico é diagnosticado com TAG, as chances são de 50 por cento que o outro gêmeo também tenha. No entanto, em gêmeos não-idênticos, a chance é de apenas 15 por cento.

Pessoas com Transtorno De Ansiedade Generalizada tendem a ser pessimistas, esperam o pior, e muitas vezes interpretam acidentes todos os dias como grandes catástrofes. Ao invés de verem o copo meio cheio; eles veem meio vazio.

Acontecimentos ruins simples, como um para-lama amassado são exagerados fora de proporção e causa a pessoa muito mais dor do que causaria para a maioria das pessoas.

O Transtorno De Ansiedade Generalizada é frequentemente uma condição crônica, com eventos negativos agravando a doença. Talvez metade das pessoas com TAG são clinicamente deprimidas e há uma tendência para tentar automedicar-se com o uso excessivo de álcool, drogas ilegais e medicamentos sem prescrição. A maioria das pessoas com TAG sabem que não devem se preocupar tanto, mas não são capazes de mudar esse pensamento.

Seus primeiros passos para superar a ansiedade e pânico estão aqui.

Os sintomas incluem músculos tensos, dores nas costas ou dores de cabeça que um médico não consegue encontrar uma causa biológica. Pessoas com TAG muitas vezes se sentem inquietos, no limite, e assustam com facilidade.

Ansiedade crônica pode induzir o organismo a se sentir cansado, exausto ou no limite, sintomas esses que são agravados pela insônia associada com o TAG.

Transtorno Da Ansiedade Social

Muitos de nós nos sentimos inquietos ao conhecer pessoas novas ou falar em público. Mas as pessoas com transtorno de ansiedade social ficam tão aterrorizadas com situações sociais que se retiram e recusam muitas ocasiões sociais.

Este problema pode ser exacerbado em pessoas mais velhas por causa de deficiência auditiva, problemas com incontinência, ou embaraço por causa do uso de um andador ou cadeira de rodas.

A ansiedade social ocorre em 10 a 20 por cento da população e é a terceira perturbação psiquiátrica mais comum, depois de abuso de substâncias e depressão. Isso pode provocar um aumento no isolamento e incapacidade de interagir socialmente.

Tratamento

Todos esses transtornos de ansiedade em idosos geralmente vão embora com uma combinação de terapia e medicação. Embora os remédios prescritos devem ser usados com precaução em idosos, e muitas vezes em doses mais baixas, já existem alguns medicamentos particularmente eficazes que um médico pode prescrever.

Numerosos estudos indicam que, para uma medicação ser mais eficaz, o paciente deve também se reunir regularmente com um orientador qualificado, terapeuta ou assistente social. Outros tratamentos eficazes para algumas pessoas incluem meditação, biofeedback, massagem e acupuntura.

Compartilhe sua história ou dificuldade com um ente querido ou idoso ansioso.

0 comentários… add one

Leave a Comment