Acabe HOJE com os sintomas que você está sentindo

6 Fatos Sobre Os Aviões Para Curar Seu Medo De Voar

A maioria dos medos se resumem à falta de entendimento, e nessas situações, conhecimento realmente é poder.

Se só de pensar em entrar em um avião deixa você ansioso e suando frio, esses fatos sobre a segurança dos aviões são como remédios para tomar antes durante e depois do seu voo.

Transporte Aéreo É A Forma Mais Segura De Transporte Em Massa.

Alguém provavelmente já disse a você que é mais fácil você morrer em um acidente de carro do que em um acidente de avião.

Bom, isso realmente é verdade.

De acordo com David Ropeik, um instrutor de comunicação de risco da Universidade de Harvard, suas chances de morrer em um acidente de carro é de cerca de uma em 5000, enquanto que suas chances de morrer em um acidente de avião é de cerca de uma em 11 milhões.

De fato, é mais fácil você ser atingido por um raio, com uma chance em 13.000, durante sua vida inteira.

Acidentes fatais ocorrem, é claro, mas a mídia dá tanta atenção para esses acidentes que você começa a achar que os acidentes acontecem o tempo todo.

Entre 1982 e 2010, 3288 pessoas nos Estados Unidos morreram em acidentes relacionados a avião.

Isso é uma média de cerca de 110 pessoas por ano, e esses números incluem aviões particulares e acidentes de pessoas que não estavam no avião.

Além disso, voar fica cada vez mais seguro com tempo. Julie O’Donnell, porta-voz da Boeing, explica que acidentes fatais ocorreram uma vez a cada 200.000 voos nos anos 50 e 60.

Hoje, acidentes fatais ocorrem apenas uma vez a cada 2 milhões de voos.

Também é importante notar que a maioria dos acidentes na aviação não é fatal.

Os aviões perdem altitude, escorregam na pista e passam por turbulência extrema sem feridos.

Mesmo que seu avião esteja envolvido em algum tipo de acidente, existe uma boa chance que você vai sobreviver.

A Agência Nacional da Aviação Civil (ANAC) estima que existe uma chance de 95% de sobrevivência com base nos estudos dos acidentes de aviões comerciais no passado.

Se você está pensando “Sim, mas e o terrorismo?”, isso também é pouco provável, especialmente no Brasil.

Um dado da Agência de Transporte Aéreo dos Estados Unidos mostra que existe um incidente envolvendo terrorista a cada 16.553.385 de decolagens.

É muito mais provável você ser engolido por um tubarão.

Você pode brincar que “não tem medo de voar, tem medo é de cair“, mas seria melhor ter medo de deixar de visitar a família e amigos e ver o mundo.

Veja também: Como Eu Superei Meu Medo De Voar Em 7 Passos

Aviões Comerciais Passam Por Testes Extremos Antes De Serem Vendidos Para As Companhias Aéreas.

Fabricantes de automóveis fazem seus veículos parecerem mais seguros mostrando testes de acidentes nos comerciais, mas você nunca viu os testes rigorosos feitos pelas fabricantes de aviões.

Se você visse, você iria se sentir muito mais seguro.

Um avião passa por uma quantidade enorme de testes antes de saírem do chão, e depois disso tem muito mais testes.

Assista alguns dos testes mais extremos no vídeo acima.

Alguns testes incluem:

  • Teste de flexibilidade da asa:

As asas do avião são inclinadas em vários graus — às vezes até mesmo 90° — e eventualmente inclinam até estalar.

Isso é para encontrar o ponto de rompimento, o que sempre requer muito mais força do que qualquer avião já experimentou em um voo de verdade.

As asas são muito fortes e desenhadas para inclinar e repicar.

  • Teste de ingestão:

Isso envolve dois testes separados.

O primeiro é o teste da pancada de um pássaro, onde galinhas mortas são jogadas contra os motores para simular a entrada de um pássaro no motor no meio do voo.

O para-brisa também é testado.

O segundo teste é o teste de entrada de água, onde o avião pousa em uma pista molhada, como se estivesse chovendo forte.

Isso é para garantir que a água não entre nos motores.

  • Teste de temperatura e altitude:

Os aviões são operados em temperaturas extremamente quentes e frias para garantir o funcionamento apropriado dos motores, materiais de sistemas em todas as condições.

  • Teste de velocidade mínima:

Um piloto de testes vai arrastar a calda do avião por toda a pista para determinar a velocidade mínima absoluta necessária para a decolagem.

  • Testes de freios:

Os aviões são carregados com sua capacidade de carga máxima.

Depois o piloto atinge a velocidade de decolagem antes de acionar os freios para uma parada completa.

Os aviões também são testados para outras emergências, como raios e cenários com baixo combustível.

Tudo isso deveria dar a você uma ideia da importância da segurança para os fabricantes de aeronaves.

Se existe alguma coisa que poderia acontecer com um avião, eles provavelmente já testaram.

Eles querem os aviões voando com segurança absoluta, assim como você.

Porque caso contrário, ninguém vai comprar esses aviões.

Veja também: Causas E Soluções Para Síndrome Do Pânico No Avião

Máscaras De Oxigênio Funcionam Até Mesmo Quando Parece Que Não Funcionam.

Existe um mito que sugere que máscaras de oxigênio nos aviões não tem serventia nenhuma porque elas estão ligadas em tanques de oxigênio.

Bem, só porque as bolsas não são preenchidas com nada não significa que não estão funcionando.

Na verdade, existe muita coisa acontecendo que você não vê.

Máscaras de oxigênio são acionadas quando existe perda de pressão na cabine.

Se você não colocar a máscara, você pode perder consciência “útil” em questão de 15 segundos por causa da falta de oxigênio.

É por isso que você é instruído a colocar a sua antes de se preocupar com qualquer outra pessoa.

Um detalhe é que o oxigênio que essas máscaras fornecem não vem de um abastecimento central.

O jeito que elas jogam oxigênio é uma química simples.

Quando você puxa a máscara para seu rosto, um mecanismo de mola provoca uma reação química que gera oxigênio dentro da própria máscara.

É por isso que é importante prender a máscara como eles sugerem durante a demonstração do procedimento de emergência que você vê em todos os voos.

As bolsas na máscara agem como um reservatório de oxigênio, e não vão inflar igual um balão, mas isso impede que o oxigênio escape para o ar fino em sua volta.

Pode parecer que você não está recebendo oxigênio suficiente, mas você vai ter oxigênio de sobra até o piloto descer para uma altitude onde é possível respirar normalmente.

Veja também: 10 Formas De Enfrentar Seus Medos E Ansiedade

Aviões Comerciais Conseguem Voar Com Segurança Com Apenas Um Motor, E Pousar Sem Nenhum.

Pode parecer que os motores são as únicas coisas que estão segurando o avião no céu, mas motores são apenas parte da equação.

Eles fornecem o impulso, que é importante, mas o avião consegue voar normalmente se um deles pifar.

Todas as aeronaves comerciais são desenhadas para operar perfeitamente bem com apenas um motor.

Agora, e se todos os motores falharem?

Se todos os motores falharem, o avião vira um planador.

Um avião sem motor nenhum ainda consegue chegar a pousar com segurança, de acordo com o piloto Lim Khoy Hing.

“Todos os aviões conseguem planar até pousar com segurança, mas o grau de distância percorrida pode variar.

Planadores conseguem permanecer no ar por um tempo longo.

Uma aeronave monomotor passando por uma falha no motor também pode planar uma boa distância para executar um pouso de emergência, contanto que tenha a altura suficiente”, explica ele.

O piloto comercial Tim Morgan explica que um avião ainda tem a velocidade graças ao momentum e gravidade.

Velocidade mais do que o suficiente para gerar elevação e não cair do céu.

Aeronaves com falha nos motores trabalhando da mesma forma que um planador ainda conseguem percorrer grandes distâncias e fazer um pouso de emergência.

Mesmo assim, você nem deveria se preocupar com isso acontecendo no seu voo.

A chances de todos os motores falharem no avião mais usado pela aviação comercial é menos do que uma em 1 bilhão de horas de voo.

Esses motores são muito confiáveis.

E mesmo quando isso acontecer, ainda existe bastante esperança.

O voo 236 da Air Transat perdeu todos os motores em cima do oceano Atlântico e conseguiu planar até fazer um pouso seguro em uma pista que estava a 120 km de distância.

Ninguém se feriu.

O piloto ainda teve que circular ao redor da pista porque o avião ainda tinha muita altitude quando chegou.

Aviões Não São Tão Nojentos Quanto Você Imagina.

Se o seu pânico de voar é mais por causa dos germes e bactérias nojentas, existem algumas coisas que você deveria saber.

Para começar, o sistema de ar da cabine não é um ar reciclado carregado de germes que é jogado no seu rosto.

Apenas uma pequena parte do ar na cabine do avião é reciclado.

Mesmo assim, esse ar é reciclado é filtrado de 20 a 30 vezes por hora com filtros avançados, os mesmos usados em hospitais.

A outra parte do ar da cabine está sendo substituído a cada dois ou três minutos pelo sistema de abastecimento de ar do avião.

Portanto, seu escritório, casa ou a padaria que você pega seu pão e leite são muito mais sujos do que um avião.

Se você estiver preocupado com bactérias dentro do avião, seria mais prudente você colocar as mãos ou rosto próximo das saídas de ar.

Superfícies no avião são uma preocupação quando se trata de germes.

A maioria desses locais não são piores do que pontos na sua própria casa, como a pia, cantos da parede e objetos do cachorro, mas existem alguns locais que você pode evitar.

Bandejas, botões de descarga no banheiro e o bebedouro do aeroporto são os lugares onde mais tem germes, mas lavar suas mãos sempre que puder, usar um desinfetante nas mãos, carregar lenços na sua bolsa e não tocar no seu rosto é provavelmente mais do que o suficiente para evitar ficar doente.

A Turbulência Não É Perigosa, E Existem Formas De Reduzir Suas Chances De Experimentar Uma.

Se existe uma coisa que você pode levar desses fatos, que seja este:

Turbulência não é motivo de preocupação.

A turbulência não é uma ameaça à segurança do voo.

A turbulência é um incômodo, não é um perigo para você ou para o avião: o piloto comercial Patrick Smith explica: para todas as intenções e propósitos, um avião não consegue virar de ponta cabeça, não vai entrar em ou cair do céu nem por causa da mais poderosa rajada de vento.

A turbulência pode ser desconfortável, mas o avião não vai repartir ao meio.

É um incômodo para todo mundo, incluindo para a tripulação, mas também é normal.

Os pilotos enxergam a turbulência como um problema de conveniência, e não de segurança.

A principal razão que os pilotos se esforçam ao máximo para evitar turbulência é porque ela é chata.

Eles querem dar um gole no café sem derramar, assim como você.

Pense na turbulência do mesmo jeito que você trata os buracos na pista na estrada em uma viagem longa.

Mesmo assim, é natural ficar desconfortável e sentir náuseas por causa dos movimentos para cima e para baixo.

Se você quer diminuir suas chances de passar por turbulência, os serviços de meteorologia recomendam reservar voos nas primeiras horas da manhã ou próximo do pôr do sol, quando o sol não está aquecendo a superfície da Terra e criando uma atmosfera menos estável.

Além disso, se você puder escolher seu assento, escolha um logo acima das asas.

Assentos perto do nariz e cauda do avião são os que se movimentam mais durante uma turbulência.

0 comentários… add one

Leave a Comment