Acabe HOJE com os sintomas que você está sentindo

Como Gerenciar Os Sintomas De Ansiedade Depois De Parar De Beber Álcool

O alcoolismo cria um problema sério com a dependência.

O cérebro começa a usar o álcool como sua principal ferramenta para lidar com o estresse, e sua mente e corpo se adaptam ao álcool até o ponto em que certos neurônios no cérebro começam a disparar para notificá-lo de que o álcool não está no sistema há tempo suficiente e quer que você tome alguns drinks rápidos.

É por isso que quando você para de beber, não é incomum experimentar uma série de sintomas terríveis, incluindo ansiedade.

É ainda mais comum descobrir que, depois de parar de beber, a ansiedade faz com que você queira voltar ao álcool.

Usando o álcool para controlar o estresse e a ansiedade

Os problemas com o abandono do álcool e da ansiedade começam muito antes de você decidir parar.

Eles começaram quando o álcool foi usado como um mecanismo de enfrentamento para lidar com o estresse.

A chave para entender é o que é “lidar com o estresse”.

As pessoas falam sobre atividades de enfrentamento do estresse, como meditação e yoga, mas o enfrentamento em si não é uma atividade, mas uma habilidade mental.

É a capacidade do cérebro de superar o estresse e, como um músculo, pode ser treinado com o tempo.

Veja também: O Álcool E A Síndrome Do Pânico

Álcool impede o enfrentamento do estresse

É aqui que o álcool pode causar um problema sério.

Para muitas pessoas, o álcool substituiu a necessidade do seu cérebro de aprender a lidar com o estresse por conta própria.

O álcool não ajuda você a lidar, simplesmente entorpece as emoções.

É por isso que muitas pessoas recorrem ao álcool para situações de ansiedade, como:

  • Transtorno De Pânico
  • Distúrbio de ansiedade generalizada
  • Transtorno de Estresse Pós-Traumático

Você pode não ter se voltado para o álcool porque tinha ansiedade, mas todo mundo lida com o estresse do dia a dia, e quando você bebe essas tensões são anestesiadas, mas não são tratadas.

É como usar um potente analgésico em uma ferida aberta – você não sentirá nenhuma dor, mas a ferida continuará sangrando.

Álcool e Dependência Psicológica

O que acontece é que, depois de parar de beber álcool – muito tempo depois do fim dos sintomas de abstinência (que chegaremos em um segundo) -, seu cérebro fica essencialmente sem estratégias saudáveis ​​para lidar com os estresses mais leves.

Sua capacidade de lidar com o estresse sem álcool pode ter se tornado mais fraca.

Então, toda vez que você estiver sob estresse, seu instinto natural será voltar ao álcool, pois você pode não ter outras estratégias de enfrentamento eficazes.

Veja também: Ansiedade e abuso de drogas – suas causas e soluções

É aí que entra o problema real, e é por isso que aqueles que querem parar de beber também precisam começar a ver como recuperar as habilidades de enfrentamento que perderam.

Não se trata apenas de voltar ao álcool – é também aprender como deixar que tensões menores não explodam em tensões maiores.

A menos que você recupere sua capacidade de lidar com o estresse, as chances de desenvolver um transtorno de ansiedade permanecem altas.

Retirada do Álcool e Ansiedade

Naturalmente, a abstinência do álcool também pode causar ansiedade e ataques de pânico.

A ansiedade de abstinência é complicada, mas essencialmente vem do modo como sua mente experimenta o estresse de perder o álcool.

Tanta coisa acontece em seu cérebro que altera as químicas do seu cérebro e provoca uma série de mudanças físicas que podem levar à ansiedade.

Curiosamente, alguns médicos usam medicações de ansiedade para ajudar as pessoas a se retirarem do álcool quando isso é medicamente necessário, devido aos efeitos da abstinência de parar de beber abruptamente.

Esses medicamentos – conhecidos como benzodiazepínicos – agem em receptores semelhantes, e podem reduzir os efeitos da abstinência ao mesmo tempo em que torna mais fácil deixar o álcool porque você pode diminuir o uso dos benzodiazepínicos de uma forma mais difícil do que com o álcool.

Abandonar o álcool também pode levar à ansiedade a longo prazo de sintomas prolongados de abstinência, conhecidos como abstinência prolongada.

Este tipo de ansiedade deve ser controlada com dicas adequadas de enfrentamento e recomendações do seu médico.

Superando a ansiedade de parar o álcool

Deixar de beber é sempre uma tarefa difícil, mesmo se você fosse mais um bebedor casual do que um alcoólatra.

A capacidade do álcool de substituir o enfrentamento normal do estresse faz com que ele interfira na sua capacidade de reagir de maneira saudável à ansiedade e ao estresse, a ponto de sentir ansiedade muito mais severa do que se você não tivesse álcool.

Isso pode até afetar aqueles que nunca usaram álcool intencionalmente para lidar com o estresse.

Existem muitas estratégias diferentes para lidar com ansiedade e ataques de pânico que não são específicos para aqueles que pararam de beber.

Mas as seguintes são importantes como formas de evitar que o álcool cause muita ansiedade:

  • Crie uma Rede de Apoio.

Você precisa ter pessoas responsáveis por você e precisa ter aquelas para as quais pode ligar se você se sentir ansioso.

Elas precisam ser pessoas com as quais você não se importa de compartilhar todos os seus pensamentos.

Uma rede de suporte é importante, porque ajudará a garantir que você consiga encontrar uma saída de enfrentamento diferente do álcool.

  • Fique ativo.

O tédio é o inimigo da sobriedade e da ansiedade.

Quando você está entediado, sua mente tende a se concentrar muito em seu estresse e sua ansiedade, e com nada melhor para fazer você pode encontrar-se à procura de saídas insalubres ou deixar seu estresse correr solto.

É por isso que você precisa encontrar coisas para fazer – de preferência atividades sociais, sem estresse, que ocuparão seu tempo e sua mente.

  • Encontre Estratégias de Enfrentamento de Substituição.

Lembre-se, o enfrentamento do estresse é uma mentalidade e uma habilidade mental.

Então, de certa forma, é difícil encontrar substitutos reais de enfrentamento.

O que você precisa fazer é aprender a superá-lo mentalmente, o que é algo que requer prática.

Mas até lá, você ainda pode encontrar atividades que facilitam o enfrentamento.

Atividades como exercícios e praticar esportes podem ser benéficas, assim como estratégias tradicionais de relaxamento como ioga, respiração profunda e relaxamento muscular progressivo.

Veja também: 4 Maneiras Como O Açúcar Pode Estar Prejudicando Sua Saúde Mental

Conclusão

A chave é não tentar substituir os efeitos do álcool – você não quer outra coisa que entorpece sua ansiedade sem ajudá-lo a lidar com isso.

O que você está tentando fazer é reduzir o impacto do que acontece ao seu cérebro quando você está lidando com o estresse.

Essas atividades diminuem o impacto do estresse e da ansiedade, e quando você consegue enfraquecer os efeitos do estresse, você dá a sua mente uma chance melhor de recuperar sua própria força natural de enfrentamento.

0 comments… add one

Leave a Comment